Memórias de um eterno companheiro: Silas Mundim

por Carolina Lara.

Memórias insondáveis e ilimitadas. São por meio delas que Sr. Silas Mundim ainda sobrevive. Falecido no dia 17 de fevereiro, deixa muita saudade, porém, muitas histórias significativas para rememorar. E é por isso que sua família, mesmo ainda movida pelo calor do inesperado, recebeu a reportagem do SIN e alguns amigos no dia 27 de fevereiro. A linda e meiga esposa Olinda Mundim e uma das filhas, Tatiana, estão abrindo os tesouros do baú de uma vida interia de dedicação à comunidade. Condecorações, documentos, fotos de épocas de luta e muita dedicação ao trabalho foram expostos para os visitantes curiosos que guardam, carinhosamente, os momentos que passaram juntos do Sr. Silas no coração.

silas dentro da matéria

Impecável, Sr. Silas era um ser totalmente organizado e honesto, tanto em suas atitudes internas quanto nas externas. Tanto que dona Olinda faz questão de seguir o exemplo: “eu vou continuar tudo o que ele fazia para as pessoas, ajudando netos, bisnetos e toda a família”.

 

 

silas e olinda

 

Dona Olinda conta que ele sempre a ajudava, inclusive com a feira da casa. Que era muito companheiro e que nunca lhe deixou faltar absolutamente nada. Planejaram todos os detalhes de suas vidas, inclusive a vinda das duas filhas.

“Em todas as contas bancárias ele me colocou em conjunto para que eu não passasse nenhuma dificuldade. E, dessa forma, está mais fácil realmente resolver tudo”. O casal também conversava sobre a morte e, amorosamente, decidiam que um não podia sobreviver sem o outro. Mas dona Olinda sobreviverá com a mesma força impulsionada pelo amor que a manteve de pé por todos esses anos. E assim, a vida segue. Dona Olinda receberá sempre o apoio dos amigos UPMSI que conhecem, de perto, esse senhor singelo, discreto, sério e brincalhão ao mesmo tempo. Esse senhor que deixa alegrias, piadas e um exemplo humano a ser seguido.

IMG-20180227-WA0043

 

 

Sr. Silas era muitíssimo querido e eu, uma simples repórter, devo agora me calar para deixar que falem aqueles que o conheceram de verdade:

 

 

 

“Conhecer o Silas foi uma dessas coisas boas que acontece na vida da gente. Em tão pouco tempo de convivência nos tornamos bons amigos e parecia que nos conhecíamos há tempos. Nesse período, o Silas se tornou um grande conselheiro para toda hora. Uma pessoa inteligentíssima de uma leitura e escrita impecável. Era de uma generosidade e uma disponibilidade incomparável. Lembro-me de algumas vezes em que precisei dele e estive em sua casa para uma conversa rápida no portão, mas, geralmente, essas conversas se estendiam por horas, sentados em sua sala. E sempre fui muito bem recebido pela gentil e amável Dona Olinda. Que, alias, está me devendo um jantar. Não podemos deixar de lembrar ainda o quanto ele foi importante para esta instituição. Nesses mais de 50 anos de UPMSI, foi presença certa em quase todos os momentos marcantes na construção, do bairro Santa Inês e do União Recanto Clube. Perdemos, sem dúvida, um dos nossos maiores colaboradores. Obrigado Silas pelo privilégio de ter convivido com você, pela honra de ter ouvido seus conselhos e suas historias, o prazer de ter me divertido com os casos que adorava contar”.Descanse em paz, amigo.

Paulo Cesar, (PC) – Diretor Administrativo UPMSI-URC

 

 

“Conheci o Silas na época em que ele foi tesoureiro do UPMSI. Ele também chegou a ser Diretor Administrativo e presidente por dois mandatos. Sempre participou de todos os conselhos. Sempre com boas ideias. Tinha um excelente português e, por isso, todos consultavam suas dúvidas com ele. Seu legado para a UPMSI é memorável: fez a caixa d’água, trocou filtro, resolveu o consumo de água do clube porque a água ia embora. Consertou todo o encanamento de esgoto. Também tinha um talento literário que pode ser comprovado pelos seus textos publicados no jornal SIN, a coluna: “das historias que eu ouvi”. E todo mundo adorava. Também em uma época fazia a revisão do jornal. Silas construiu o recanto da Chiquinha e comemorava o aniversário do local todo dia 7 de setembro. Sempre disposto a colaborar, sempre colaborando com as questões do Estatuto. Tínhamos o encontro toda terça e quinta na “Chiquinha” e sempre estávamos juntos. O mais impressionante é que sonhei com ele essa noite (um dia antes dessa entrevista). Estava no clube com ele e, com a mão em seu ombro, andávamos conversando. Foi uma grande perda. Um homem muito guardião e generoso. Resolvia o problema de toda a família”

Edison Nascimento da Silva – sócio desde 1980 do URC – Presidente do Conselho Consultivo há 20 anos.

 

 

“Muito amigo de verdade, conselheiro para todas as horas. Confidente. Aquela pessoa que você tem certeza que pode confiar. Trabalhamos na mesma empresa, na Rede Ferroviária Federal. Homem “pau pra toda obra”, mediador inato, tinha um talento especial para resolver conflitos. Foram 50 anos de amizade e muito companheirismo”.

Antônio Onofre Fontes – presidente UPMSI

 

 

“uma verdadeira cédula que…

Acumulou e dividiu talentos de humor literário e cultural!

…partilhou conquistas e muitas histórias de vida!

O tempo passa e nós também

O Silas se foi…

Nos resta uma gratidão a Deus pelo tempo que permitiu a sua passagem por nós!

Mesmo para quem foi apenas uma convivência aparente, ficará uma saudade!”

Rô – integrante da Comissão de Eventos URC

 

 

“Silas foi um grande homem, uma pessoa maravilhosa e muito boa para todos nós, sempre lutou pela comunidade e quem sou eu para escrever alguma coisa! Eu só tenho que sentir a ausência dele, pois toda a vida deu assistência para nós e, para mim, ele foi maravilhoso!”

Toninho Quequeta – Sócio URC


Deixar um comentário

Seu e-mail não séra publicado. Campos obrigatórios *

*
*